Stones

Difícil. Muito difícil mesmo comemorar os 50 anos de uma banda como os Stones e colocar um video aqui. Não dá pra escolher dentre as centenas de milhares de videos um apenas que represente o que foi a banda. Portanto, vou tentar aumentar este post ao longo do dia, com outros.

Não vou cair na besteira de ficar aqui falando da importância dos Stones, de como eles revolucionaram a música, de como personificam o rock and roll, blá blá blá. Se você não sabe nada disso, nem merece estar lendo este blog. (ha ha ha).

Melhor celebrar. E começo por aquela que, acho, é minha música predileta deles. E aquela que marcou a minha caída de ficha. O ano era 1995 e os Stones vinham ao Brasil pela primeira vez. No segundo show que eles fizeram no Pacaembu, esta foi a segunda música, logo depois de “Not Fade Away”. E foi quando eu caí na real. “Estou em um show dos Stones”

Não dá pra esquecer que o maior show da banda, considerado o maior show da história do rock (em número de pessoas, claro) aconteceu no Brasil, no Rio de Janeiro, na Praia de Copacabana. Não tem como não ficar impressionado com estas imagens.

E que tal ver os Stones gravando “Sympathy for the Devil”? São 41 minutos de video, mas vale a pena ver a banda trabalhando.

O prédio é o mesmo da capa de Physical Graffiti, do Led Zeppelin. O clipe é tosco, típico dos anos 80. Mas é um dos meus prediletos dos Stones.

Love In Vain, ao vivo em 1972. Absurdo!

Share

Dia Mundial do Rock – parte 3

Hoje, o especial do Dia Mundial do Rock é dedicado aos Rolling Stones. Teoricamente (e na prática também), hoje é o dia dos 50 anos da banda. Há 50 anos eles subiam ao palco do Marquee, em Londres, para seu primeiro show.

Mas que tal começarmos a celebração com alguns músicos que estiveram por trás dos Stones, auxiliando-os durante décadas, mas pouco falados e conhecidos. Talvez o maior de todos eles seja o saxofonista Bobby Keys, que comparece aqui no blues “You Gotta Move”, ao lado de duas figura também ilustres da história stoneana: o pianista Nicky Hopkins e o guitarrista Mick Taylor, um dos poucos membros oficiais a deixar a banda e ainda permanecer vivo (meio mórbido isso, mas é a pura verdade).

Share

Várias coisas brazucas

Tem um tempo que eu tô me devendo ouvir umas coisas brasileiras que tem pipocado por aí. Tirei um tempinho hoje pra dar uma passada e achei umas coisas bem legais.

1. MADRID. É o projeto novo do Adriano, ex-CSS e da Marina, ex-Bonde do Rolê. Não tinha dado muita bola, mas curti essa música aqui, até porque tem quase nada das ex-bandas dos dois.

2. TULIPA RUIZ. O segundo disco tá pintando por aí, mas uma faixa – “É” – já vazou e é bem boa. E a parceria dela com o Lulu Santos tb é ótima!

3. TIÃO DUÁ. Luiz Gabriel, do Graveola e o Lixo Polifônico, com projeto novo na praça. É bem igual e diferente ao mesmo tempo do trabalho que ele faz com o Graveola e em carreira solo. Confiram.

Share

Dia Mundial do Rock – Parte 2

Frank “Poncho” Sampedro, Billy Talbot e Ralph Molina são, há trocentos anos, a Crazy Horse. Banda que acompanha Neil Young de tempos em tempos e uma das maiores bandas de apoio da história. Ok, você pode escolher a The Band ou, sei lá, a E-Street Band. Mas eu acho que estas duas são bem mais faladas e reconhecidas do que a Crazy Horse. Por isso, na semana do rock, é hora de homenagear este trio que tem muitos serviços prestados ao rock com um de seus grandes momentos, hoje e sempreL tocando “Cortez the Killer”.

Share

Dia Mundial do Rock – parte 1

Sexta é o Dia Mundial do Rock e, ao invés de colocar aqui uma série de videos de Jimi Hendrix, The Clash, Stones e tantos outros, porque não colocar algumas figuras pouco lembradas pela história do rock mas que sem eles a história teria sido outra?

Começo pelo Soundgarden. Claro que a banda é lembrada sempre que se pensa em rock dos anos 90, mas você já parou pra pensar em quanto os músicos da banda são fodas? Ok, todo mundo sabe que o Matt Cameron é um monstro, mas é o Kim Thayil?

Por isso, assiste aí o video do show do Lollapalooza em 2010, que eu tive o privilégio de assistir, e depois a gente conversa.

Share

Música, cinema, comportamento, tecnologia, vida